Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Bucha a Estica

De Bucha a Estica

ESTADO DA ARTE #1

Dia: 28 de Julho de 2015

Hora: 8h30

Roupa: calças de lycra, t-shirt e ténis de treinar

Peso: 85,8 Kg

Altura: 1,69 Cm

IMC: 30

FAT%: 45,2%

FAT MASS: 38,80 Kg

Medidas Cintura: 92 Cm

Medidas Zona Abdominal: 108 Cm

Medidas Ancas: 114 Cm

 

 

Estado de espírito: nunca tinha visto este peso na balança... nem sei o que pensar.

O que mais me chocou aqui, foi a percentagem de massa gorda no corpo.

 

ESTADO DA ARTE 1.png

 

 

Movimento:

#UmDiaDeCadaVezETodosOsDiasUmBocadinhoMais

 

 

DESABAFO#4

8h15 lá estava eu.

Pontual mas sem qualquer vontade de estar ali.

Na noite anterior não consegui dormir. Talvez ao todo nem 1h tenha dormido.

Agarrei no telemóvel mais de 20 vezes para desmarcar, mas não tive coragem de faltar ao respeito do Daniel.

Daniel foi a pessoa escolhida pelo Nuno para me ajudar.

E ainda bem que não o fiz, porque o próprio Daniel também tinha dormido pouco e mal e estava lá pronto para me ajudar.

Está na hora de ganhar vergonha na cara.

Cheguei ao ginásio abri a porta da sala das máquinas e senti um “back” no coração...

Tantas pessoas...

Não queria nada estar ali, comecei a sentir-me como uma criança sozinha na cidade mais movimentada do mundo...

Hoje ainda não era para treinar, mas sim para ter “aquela” conversa.

O confronto com a realidade.

E não falo só do peso.

Falo principalmente da saúde.

A falta de energia e resistência é o que mais me preocupa.

Claro que o peso a mais é uma dor, uma desilusão mas o que mais me preocupa é ter um corpo cansado, velho e doente.

A conversa correu muito bem.

É fundamental termos a pessoa certa a falar connosco. Que nos saiba ouvir, que partilhe connosco as fragilidades que também sente, que consiga que eu não saia de lá a achar-me um lixo sem volta a dar.

Nada disso.

É tão importante rodearmo-nos das pessoas certas.

Não houve dramatismos nem relativismos.

O Daniel foi prático, assertivo e objectivo.

E nada comercial.

Ou seja, senti que estava ali a dar-me do seu tempo para me ajudar, sem me querer vender isto ou aquilo.

O foco é acima de tudo a saúde e consequentemente perder peso, mas com disciplina e nada de exageros lunáticos.

Senti-me tranquila.

Quero tanto ser capaz de fazer isto.

Agora na próxima 6ªfeira estou de volta para fazer consulta de nutrição e mais uma conversa/consulta com o Daniel para alinhavarmos um plano de treino e talvez já faça algum cardio.

No Estado da Arte#1 estão os resultados da balança.

 

 

Movimento:

#UmDiaDeCadaVezETodosOsDiasUmBocadinhoMais

 

 

Motivação (0-5): 2

Música:

 

 

 

Pensamento:

DESABAFO 4.png

 

 

 

 

DESABAFO#3

Tal como disse no DESABAFO #2 tinha enviado um email para o ginásio a partilhar a minha desmotivação

 

Até 20 minutos antes da hora marcada estava decidida a não ir.

Estava chateada.

Tinha discutido.

Não me sentia com vontade de ir falar com alguém que provavelmente me iria querer motivar.

Não sei se é assim na maioria das vezes, mas sempre que me chateio vingo-me em mim. Cancelo tudo o que me faz bem. Salto refeições. Como disparates.

Mas... fui!

E ainda bem.

Cheguei lá e fui ter uma reunião com o responsável dos PT’s, o Daniel, afim de tentar explicar a minha caminhada no ginásio e o porquê de ter perdido a motivação.

A conversa correu muito bem. Senti que fui ouvida, não fui criticada, mas também não me passaram a mão pelo lombo.

E ao contrário do que poderia pensar, não me tentaram vender produtos e serviços.

Nada disso. Foi uma conversa com alguém que está muito habituado a lidar com pessoas que perdem a motivação de treinar pelos mais variadíssimos motivos.

Percebi que estava nas minhas mãos.

Percebi que alguém tinha me dado 1h (quando não era obrigado) do seu tempo para me ouvir e tentar ajudar-me.

Agora estava nas minhas mãos.

Sinto que tenho muito caminho pela frente.

Sinto que tenho muitas gavetas para fechar.

Sinto que preciso urgentemente de me equilibrar emocionalmente e sentir no ginásio um aliado e não uma hipótese de não ir propositadamente para me fazer mal.

Não posso continuar a adiar.

Não quero continuar a adiar a minha vida.

Quero a minha saúde de volta.

Ficou marcada a primeira consulta de nutrição e a primeira aula para avaliação e plano de treino adequado para mim.

O medo de falhar continua presente...

 

Movimento:

#UmDiaDeCadaVezETodosOsDiasUmBocadinhoMais

 

 

Motivação (0-5): 2

Música:

 

Pensamento:

 

DESABAFO3.png

 

DESABAFO#2

Sou assaltada por dúvidas e medo de fracassar.

Ninguém sabe que estou prestes a enfrentar esse monstro que tanto me assombra.

Aliás. Ninguém sabe não é bem assim.

A minha metade sabe.

Sabe de tudo.

Apoia-me em tudo.

Por isso, para além de mim, que sou feita em 2 metades: Eu+Ele, mais ninguém sabe.

Falei com o rapaz do ginásio (ainda não o conheço) e vou falar com ele daqui a dias para reavaliar-mos a minha caminhada por lá.

Só para contextualizar, estou inscrita há mais de 1 ano, mas arranjo todas e mais algumas desculpas para não ir.

A verdade é que sinto vergonha em estar lá, em não conseguir fazer os exercícios, em estar na pior forma física de sempre, enfim...

Não percebo como alguém que gostava tanto de desporto, agora arranja todas as desculpas e mais algumas para não treinar...

É um terror ir ao ginásio.

Tomei a iniciativa de lhe mandar um email para saber se me pode ajudar nessa parte de motivação.

Vamos lá ver...

 

Movimento:

#UmDiaDeCadaVezETodosOsDiasUmBocadinhoMais

 

 

Motivação (0-5): 1

Música:

 

Pensamento:

DESABAFO2.png

 

 

DESABAFO#1

Pronto! Já criei o Email, Facebook, Instagram e até o Blogue.

Está na hora de começar.

Tenho medo.

O medo maior é o fracasso.

É o medo de não conseguir.

Outra vez.

Já falhei tantas vezes.

A luta contra estes quilos a mais já me persegue há tanto tempo.

E principalmente sentir-me num corpo velho, com pouca saúde.

E eu esforço-me tanto e nunca chego a lado nenhum.

Dietas de todo o género e feitio.

Consultas em várias nutricionistas.

Restrições alimentares.

Caminhadas.

Até passar fome...

E nada resultou.

E acreditem que me esforcei muito...

Provavelmente não fazia os exercícios certos...

Provavelmente a dieta alimentar não era a certa para mim...

Provavelmente não era só isso que devia ter feito...

Sei lá...

E depois destas falhas todas vou comprometer-me publicamente??

Tenho medo...

Mas quero muito fazê-lo.

Quero muito fazê-lo por mim, porque sinto que este comprometimento pode me ajudar e também porque tenho a certeza que não serei a única com estes medos.

 

Movimento:

#UmDiaDeCadaVezETodosOsDiasUmBocadinhoMais

 

 

Motivação (0-5): 1

Música:

 

 

Pensamento:

desabafo1.png

 

 

Quem sou?

bucha1.png

 

Esta talvez seja a parte que menos goste de escrever.

Actualmente tornei-me numa pessoa que não gosto de ver no espelho.

Mas já gostei!

Durante praticamente toda a minha vida tive um peso razoável, um peso que me deixava agradada e feliz.

Fazia desporto e nunca me escondia das pessoas.

Fazia praia que era das coisas que mais gostava.

Encontrava roupa em todas as lojas, sem nunca imaginar que ia ouvir frases como: “Para o seu tamanho não fazemos estas calças, tente ali na zona das grávidas ou os tamanhos para pessoas maiores.”

Hoje em dia oiço esta frase. Não gosto de ir à praia. Escondo-me das pessoas.

Invento todas as desculpas possíveis para não ir a jantares, convívios, saídas, ou seja, tudo o que envolva estar à mercê de olhares que me digam que “estás mais gordinha”.

Neste momento 80% do meu roupeiro não me serve.

Em 1 ano a minha vida deu um trambolhão e o meu peso subiu cerca de 20 quilos.

Como é possível ter engordado 20 quilos e só ter dado conta quando passei os 15 quilos a mais?? Onde andava eu que não me olhava ao espelho??

Era a pessoa mais segura e confiante que conhecia.

Tinha energia para vibrar durante as 24h/dia.

Andava sempre a dizer palhaçadas e a rir.

Comprava roupa que gostava e não com o objectivo de tapar ou esconder.

Tinha sonhos engraçados às vezes até ridículos, hoje só sonho coisas más.

Sou insegura, cada vez que vou à rua acho que todos olham para mim e me chamam de gorda, ando sempre cansada e evito ir sozinha onde quer que seja.

Sinto que tudo o que faço é uma falha.

Quero muito mudar este cenário.

Não quero ser infeliz porque eu escolhi exactamente o contrario para mim, escolhi ser feliz.

Quero recuperar a pessoa que eu era.

Quero voltar a sorrir.

Quero voltar a usar amarelo.

Quero voltar a ir à praia.

Quero voltar a viver.

Quero deixar de ser refém destes quilos.

E principalmente quero ser saudável!

Quero voltar para mim.